sexta-feira, 21 de julho de 2017

Jogo da pesca - brincadeira de coordenação motora com água


O tempo pede água, e na falta de um espaço exterior com piscina inventam-se jogos que permitam os miúdos salpicarem o tudo à sua volta. Coloque uma toalha para proteger (um bocadinho) o chão.
Eu enchi uma taça grande com água e meti lá para dentro umas tampas coloridas das frutinhas que por cá se bebem aos montes. Coloquei no chão e ao lado uma tigela vazia. 
Ofereci a cana de pesca em forma de colher à Camila, e disse-lhe para ela pescar os peixinhos coloridos que andavam a nadar naquele grande lago azul!
Apesar de ser uma brincadeira muito simples ela adorou e repetiu muitas vezes! Enquanto brincava e se molhava ia dizendo as cores "dos peixinhos", ia contando quantos é que já tinha pescado, e ia trabalhando a coordenação motora....e parecia que não estava a desenvolver nada não era?
No fim, como é óbvio, o lago foi invadido pela Barbie Sereia & Co e brincadeira continuou livre e solta!


quarta-feira, 12 de julho de 2017

O bebé também se senta à mesa!



A fase de introduzir os sólidos na alimentação do bebé pode ser muito entusiasmante, mas ao mesmo tempo consegue ser stressante!
Para mim está a ser (e sempre foi com os irmãos) uma dança de conseguir ignorar as colheradas de sopa voadoras e os pedaços de arroz esmigalhados no chão, com a partilha de alimentos e momentos em família.
Eu considero importante colocar logo o bebé à mesa para fazer as refeições em família. Cá em casa é um momento valioso onde todos tentamos partilhar como foi o nosso dia, conversar e descontrair um bocadinho e eu gosto de o incluir apesar de ele ainda ser tão pequenino. Sei perfeitamente que não compreende nada do que é dito, mas acredito que sente o "feeling" da coisa, e que se vai acostumando à dinâmica familiar. Acredito ainda que ao estar sentado à mesa de família, o bebé vai vendo tudo, ouvindo, cheirando e provando muitos dos alimentos que os restantes membros da família estão a comer.
Mesmo quando estamos só os dois, sentamos-nos à mesa e muitas vezes aproveito o momento para o deixar explorar os alimentos livremente (como aconteceu no video com a água e o alperce).
Acaba por ser uma óptima brincadeira sensorial ao mesmo tempo que vai descobrindo o mundo, dentro da nossa casa.


segunda-feira, 10 de julho de 2017

A importância do desenho na infância.


Hoje comprei uma ardósia igual há que tinha quando era pequena. 
Quando cheguei a casa a Camila confiscou-a logo para desenhar com giz (adora sentir o giz nas mãos).
Eu nunca me meto nos desenhos dela, nunca pergunto o que vai ou não fazer nem tento adivinhar o que está rabiscado nos seus rabiscos. Aprendi a lição no livro do principezinho quando ele desenhou uma cobra que tinha comido um elefante e todos os adultos achavam que era um chapéu.
Espero sempre que ela me faça a tradução dos seus desenhos, coisa que faz sempre com o maior entusiasmo. 
Noto que os seus desenhos já apresentam uma evolução que acompanha o seu crescimento.
Para nós educadores de infância, o desenho é ferramenta lúdica importante que, juntamente com outras estratégias, nos apoia no acompanhamento do desenvolvimento infantil da criança e a percebe-la um bocadinho melhor.
Para quem está fora da realidade infantil, será difícil imaginar que existem vários estudos sobre a temática do desenho na infância e que existem níveis de desenvolvimento que todos os profissionais conseguem destingir só por olhar para um desenho que um menino acabou de fazer. 
Mas a verdade é que os desenhos "falam" e contam muito sobre os pequenos seres que os fazem.
Por exemplo, a Camila está na fase da garatuja nomeada que representa intencionalmente um objecto concreto, através de uma imagem gráfica, passa mais tempo a desenhar. Distribui melhor os traços pelo papel descrevendo verbalmente o que fez e começa anunciar o que vai fazer. Alguns movimentos circulares associados a verticais começam a dar forma à figura humana. A cabeça é desenhada maior do que o restante do corpo.
Ela no caso já inclui imensos detalhes nos desenhos, como por exemplo pestanas, bigodes, dedos nas mãos e nos pés e como é tão pirosa até já pintou unhas de cor de rosa.
.Isto tudo para vos dizer que os desenhos dos nossos filhos são preciosos! Além de serem verdadeiras obras de arte que merecem estarem expostas na nossa casa, muitos contam a história da vida da nossa família ou alguma coisa que a criança viu e a marcou. 
Eu guardo todossss, é uma forma de eternizar cada fase dos meus filhos a par com as fotografias. Existem uma fase em que eles fazem 10 desenhos por dia, mas acreditem em mim, daqui a pouco tempo os desenhos vão reduzir drasticamente e  vão sentir saudades deles!

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Passatempo Educar com o coração




Li este livro de uma só vez.
Gosto muito da pedagogia Montessori, e este livro está conciso, bem estruturado, bem fundamento e com uma escrita simples e fácil de ler e compreender.
É um livro que todos os profissionais da educação de infância vão gostar, mas não é só para eles. Pais e interessados na pedagogia em geral também vão aprender muito com este livro.
Para mim "educar com o coração" é  tentar sempre ser e fazer o melhor para os meus filhos, tendo como maior desejo de vida que sejam felizes.
E para ti? o que é educar com o coração?
(Não há respostas certas e erradas neste tema e por isso decidi que o vencedor ser´encontrado por sorteio.)

Apagar os riscos dos miúdos das paredes...é mágico!


Se encaixotar a vida de cinco pessoas para mudar de casa foi terrível, descobrir pequenas pinturas rupestres feitas pela Camilinha por todas as paredes foi um verdadeiro pesadelo!
Só imaginava a cara do senhorio ao ver tamanhas obras de arte espalhadas pela casa e o quanto eu iria desejar que se abrisse um buraco no chão para eu fugir directamente pela casa dos vizinhos do 4B.
Tentei lixívia, tentei detergente para a loiça, a técnica do secador de cabelo e NADA, nada parecia ter capacidade para apagar os malvados riscos de lápis de cera.
Foi aí que alguém me falou na esponja mágica do Continente.
Sinceramente fui comprar só por descargo de consciência, mas sem muita esperança que a esponja fosse de facto mágica.
E não é que mal comecei os riscos começaram a desaparecer!
Não queria acreditar. Depois de começar a perceber que se usasse a esponja da mesma forma que se usa uma borracha os riscos desapareciam mesmo como se de magia se tratasse,e foi num minuto que as paredes voltaram à sua cor inicial.
Fiquei tão feliz que resolvi fazer um video para vos mostrar, que de facto existe uma esponja mágica e que ainda por cima custa menos de 2€
Fiquei super fã e aconselho vivamente que se tenha sempre na dispensa se tiverem um pequeno Picasso aí por casa.


segunda-feira, 3 de julho de 2017

A "colónia" de férias perfeita para o Martim



As férias escolares são uma dor de cabeça para grande parte dos pais.
São longas e nem sempre é fácil encontrar colónias de férias giras e perto de casa para os miúdos.
Eu apesar de estar em casa, também andava a procurar atividades divertidas para o Martim (a Camila têm brincadeira garantida na escola durante o mês de Julho) porque tê-lo fechado em casa nem pensar, e eu com o bebé também não tenho grande disponibilidade para andar os dias todos no lareu..
Durante a minha procura encontrei imensas colónias e atls com férias, existe muita coisa, mas tudo igual!! As mesmas atividades e passeios que fez nos anos anteriores.
Queria uma coisa especial, que ele gostasse e onde aprendesse algo novo, e foi aí que por magia encontrei a World Academy!!
Nem queria acreditar quando vi o programa dos workshops para jovens criativos!
Uma semana, de convívio e aprendizagem, na áreas de Fotografia, Vídeo, Videojogos, Música e Som.
Estimular os jovens a usar criativamente as tecnologias, melhorando competências de expressão, realização pessoal e integração em grupo...perfeito!
Parece que foi feito à medida dele (e de todos os miúdos pré-adolescentes e adolescentes que vibram com o youtube).
Pedi logo para me enviarem o programa e então aí, queria eu mesma inscrever-me  :)


CONTEÚDOS DO WORKSHOP
| FOTOGRAFIA (6h)
Como funciona a fotografia: luz, lentes e registo. Aprender a escolher o assunto e enquadrar. Vamos descobrir a escola. Vamos fotografar no estúdio. Fotografias individuais e da turma. Fazer efeitos nas fotografias e no computador.
| GRAVAÇÃO VÍDEO (6h)
Como se faz um “filme”: equipa, tarefas e conhecimentos. Construir em grupo uma pequena história para filmar. Vamos filmar: preparar os planos, câmara, iluminação e som. Silêncio…ação!
| EDIÇÃO VÍDEO (6h)
Como se edita um vídeo. Escolher os planos, editar, colocar efeitos e música, genérico. Vamos publicar no Youtube e mostrar aos amigos e família.
| VIDEOJOGOS (6h)
Como se fazem videojogos. Ter uma ideia simples e divertida para o jogo. Construir personagens e cenários. Preparar os desafios do jogo.
Música e efeitos sonoros. Vamos testar e jogar!
| MÚSICA E SOM (6h)
Como funciona um estúdio de som. Vamos criar uma “música” em grupo. Quem sabe cantar ou tocar algum instrumento? Todos participam. Ensaiar até estarmos prontos. Colocar os microfones e gravar. Misturar e colocar efeitos. Agora vamos partilhar na “net”.

O melhor de tudo é que o preço é acessível e os equipamentos são da escola!
Quando lhe perguntei o que acharia de um workshop assim ele respondeu -"era o meu sonho, mas não há escolas assim tão fixes pois não".
Ele ainda não sabe, vai ser surpresa, mas estou mesmo feliz porque tenho a certeza que além de ele adorar e se ir divertir, vai aprender a usar ferramentas que lhe poderão vir a ser muito úteis na escolas, nos trabalhos etc...
Por isso, se têm um pré-adolescente como eu conheçam a worldacademy que vai valer a pena!!
Depois conto tudinho!!


O Regresso dos Robertos



Eu adoroooo Marionetas.
Lembro-me muito bem de em pequenina, ouvir a minha bisavó contar histórias que tinha visto no teatro de Robertos, e por isso eles sempre viveram no meu imaginário. Ela era uma velhinha amorosa, que tentava improvisar tudo com o pouco que tinha. Lembro-me de me fazer um Roberto com uma velha colher de pau e este ter sido um dos meus brinquedos favoritos durante imenso tempo.
Com a casa ainda em pantanas devido a mudança não sei se conseguirei ir na 5ªa feira, mas não vou perder esta exposição de certeza!!
E os ateliers para as famílias devem ser muito divertidos!
Fica a dica porque pais criativos, gostam de Robertos!!




QUEM SE LEMBRA DOS ROBERTOS?


A partir de 6 de Julho, a tradição portuguesa de teatro itinerante de marionetas 
– o teatro de Robertos - ganha palco no Museu da Marioneta. 

D. Roberto é descendente da grande família de Polichinelos mas, ao contrário dos seus parentes europeus,
 não tem um tipo físico determinado, o que justifica a generalização do termo Robertos a todos os fantoches 
de luva: em Portugal chamam-se Robertos aos fantoches de luva e Roberto é também o protagonista da maioria 
das suas histórias.

Até meados do século XX, era comum encontrarem-se Robertos e as suas coloridas 
barracas nas ruas, praças, jardins e praias de todo o país mas, em finais do século, 
essa forma teatral estava quase esquecida. Foi João Paulo Seara Cardoso, do Teatro de 
Marionetas do Porto, que primeiro percebeu a necessidade de preservar os Robertos, 
aprendendo a arte com o marionetista António Dias. 

É também com o objectivo de salvaguarda e de divulgação que o Museu da Marioneta 
apresenta uma exposição inteiramente dedicada aos Robertos, programando, em paralelo, ateliers para famílias e espectáculos com os bonecreiros actuais. 


ROBERTOS | Histórias de um teatro itinerante 

EXPOSIÇÃO  | Entrada Livre
Exposição de marionetas, barracas de fantoches, fotografias e cenários. 
6 Julho a 10 Setembro


TEATRO DE ROBERTOS  
Espectáculos ao ar livre | Entrada Livre
14, 21 e 28 Julho, 19h30
1 e 8 Setembro, 19h30
10 Setembro, 15h00


ATELIER FAMÍLIAS 
Construção de Robertos, marioneta tradicional portuguesa. 
12 Agosto, 14h30 | +6 anos | 6,00 (1 adulto + 1 criança) | marcação prévia 

segunda-feira, 26 de junho de 2017

O que não levar nas férias...



O Martim foi de férias 15 dias com os avós.
Quando cheguei a casa dos meus pais para o deixar a minha mãe perguntou:
-"Só uma malinha?"
Eu respondi que sim, uma criança uma malinha, simples assim. Até porque não fazia sentido levar imensa roupa pois vai passar os dias na praia e na piscina.
-"Então e os brinquedos?"
- Não leva - respondi.
A minha mãe fez cara de quem estava a ver um porco a voar e percebi que estava em perfeito desacordo comigo (o que é já habitual lolol).
-"Mas não era melhor o menino levar brinquedos e as coisinhas dele para não se aborrecer?"
Insistiu com o cuidado de avó extremosa que sei que o é.
-Não - respondi terminando a conversa.
Há já muito tempo que deixei de andar com a casa ás costas quando vou de férias.
Claro que não quero que o meu filho se aborreça e se sinta triste e frustrado, apenas quero que aproveite as férias para fazer e ver coisas novas.
Se lhe mandar uma caixa cheia de Lego que ele adora, ele vai passar os dias a fazer construções de lego e vai estar super satisfeito pois está a brincar com o seu brinquedo favorito.
Mas se não lhe mandar nada ele vai ter que inventar alguma coisa para fazer (sim porque nenhuma criança de 10 anos fica paradinha a olhar para as paredes ) ele vai usar a sua imaginação e a sua criatividade para inventar um jogo, uma brincadeira com aquilo que encontrar por ali.
Dou um bom exemplo, no outro dia fomos fazer um pic-nick e esquecemos-nos da bicicletas.
Em vez de passarem horas a andar de bicicletas, estiveram primeiro a procurar e seleccionar pedrinhas, flores, pauzinhos etc... e depois estiveram a desenhar no chão com esses elementos.
Estiveram horas igualmente entretidos, mas a fazer uma coisa nova, diferente e inventada por eles e no final adoraram o resultado.
Se tivéssemos levado as bicicletas teriam estado divertidos também, é certo, mas a fazer o mesmo de sempre...
É preciso deixar espaço para as crianças descobrirem coisas novas e as férias são óptimas oportunidades para isso!
Não tenham medo, façam a experiência e nestas férias deixem a maior parte da bagagem em casa vão ver que o que ditado "Less is more" está certíssimo!

sexta-feira, 23 de junho de 2017

O bebé é finalista


O meu filho Martim é finalista.
Ontem teve o jantar e baile de finalistas da escola do 1º ciclo.
Enquanto olhava para ele a vestir-se e arranjar-se com todo o cuidado para a ocasião percebi que já não era bebé.  
Olho para ele e penso como é que é possível que 4 anos tenham passado assim, num TGV.
Lembro-me perfeitamente de o ir levar à escola no primeiro dia de aulas do primeiro ano, com a mochila do Spiderman que parecia maior que ele e com o nervoso miudinho de quem vai para uma nova aventura.
Chegou a casa e disse que não queria ir mais, pois a professora obrigou a escrever o dia inteiro com letra manuscrita e doía-lhe a mão.
Não percebia porquê é que tinha de estar sempre sentado até lhe doer o rabo, e também não achava graça nenhuma a que só se pudesse brincar nos intervalos.
Fiquei de coração nas mãos a pensar que talvez esta fosse uma etapa complicada para ele, com receio de não o conseguir ajudar e orientar da melhor maneira. 
Não teve sorte com a professora, e nestes 4 anos deve ter tido umas 7 ou 8 professoras.
Nunca foi um miúdo que adorasse a escola, e para ele "fazer gazeta" era a melhor coisa do mundo.
Mesmo assim, sempre teve boas notas.
Olhando para ele a dançar a valsa com a miúda mais gira da turma vejo que é feliz e correu tudo bem.
Apesar dos meus anseios, dos meus medos e receios correu tudo bem e eu tudo farei para que seja sempre assim.
Enche-me de orgulho olhar para ele e ver o miúdo bom que é.
Lembra-te sempre meu amor "para quem está determinado em voar, não ter asas é só um pequeno detalhe" 

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Actividade de vida prática - Seriação



Olá a todos super papás criativos!
Ontem estive a fazer uma actividade  muito simples que a Camilinha adorou.
Esta é mais uma actividade de vida prática inspirada na pedagogia Montessori (é verdade, tenho andado meio obcecada com a Montessori mas é que quanto mais conheço mais gosto desta pedagogia).
É excelente para trabalhar conceitos matemáticos. A seriação é a função chave deste jogo, mas podemos aproveitar para trabalhar a contagem, a noção de quantidade qual pote têm mais /qual têm menos, noção de tamanho qual é maior/menor.
Além de estar a desenvolver obviamente a motricidade fina, a neurociência descobriu que as mãos são a principal entrada de informação para o cérebro e, por este motivo, deveriam desempenhar um papel crucial na aprendizagem, tal como Montessori defende não é fantástico?
Eu sempre soube que as artes e os trabalhos manuais traziam sabedoria e felicidade!!
Os materiais necessários são grão e feijão seco (se não tiver em casa pode usar massas, pedrinhas, missangas o que tiver por aí); uma tigela e dois potinhos.
beijinho e espero que gostem!

A Montessori practical life activity is perfect for Seriation, motricity and many other mathematical concepts. Hope you like it!




segunda-feira, 19 de junho de 2017

A história de hoje é ... Oh João, foste tu porcalhão?!


Ontem não foi fácil adormecer os miúdos.
O calor, o cansaço de um fim de semana cheio e o facto de sentirem que eu e o pai estávamos tensos com a tragédia que abateu o nosso querido país, dificultou ainda mais.
Para desanuviar decidi escolher um livro divertido.
Este é um livro que faz o maior sucesso sempre que conto, seja cá em casa ou quando o levo para o trabalho.
Fala de puns e só o tema deixa os miúdos bem dispostos. Quando juntamos ilustrações giras e um texto engraçado então estão reunidos os ingredientes para o sucesso!

Jogo da pesca - brincadeira de coordenação motora com água

O tempo pede água, e na falta de um espaço exterior com piscina inventam-se jogos que permitam os miúdos salpicarem o tudo à sua volta....